Nas compras, as línguas estrangeiras só trazem vantagens

Nas compras, as línguas estrangeiras só trazem vantagens

Aprofundar contactos e poupar dinheiro com línguas estrangeiras

A maioria das empresas europeias mantém contactos com o estrangeiro, pelo menos ocasionalmente. Muitas vezes, são os vendedores de matérias-primas e bens comerciais a baixo custo, bem como os fornecedores e agentes transitários com sede fora do nosso país que contribuem para o êxito da empresa. Uma grande parte das transacções de exportação/importação decorre com frequência em língua inglesa. Com a globalização dos negócios, além do inglês, torna-se cada vez mais vantajoso ter colaboradores que dominem outras línguas. Caso a contratação de colaboradores de várias línguas não se revele possível ou rendível para as empresas, pondera-se muitas vezes recorrer a uma agência de tradução profissional que, sempre que necessário, possa abranger muitas línguas.

 

Dez semanas de curso a tempo inteiro é o tempo mínimo necessário

Consoante o grau de dificuldade da língua e os conhecimentos prévios, para aprender uma língua estrangeira europeia um adulto precisa de um curso de oito a dez semanas a tempo inteiro, complementado por treino prático.

Nos últimos anos, o e-learning  desenvolveu-se enormemente e estabeleceu-se como uma segunda modalidade de aprendizagem de línguas estrangeiras. Existem entretanto inúmeras aplicações para a aprendizagem autónoma, com as quais um trabalhador poderá continuar a aprender nos tempos livres, usando o tablet, o computador portátil ou o telemóvel. Por vezes, o pacote inclui também sessões de aula com falantes nativos, com programas de videoconferência. Ao contrário da aula presencial, esta modalidade é substancialmente mais flexível — embora também exija mais disciplina da parte de quem aprende.

 

Investir em línguas estrangeiras significa tirar partido da internacionalidade

Se as qualificações da empresa incluírem línguas estrangeiras, além do inglês, isso poderá significar um potencial de poupança e o acesso aos mercados. Uma vez que a aprendizagem e a manutenção de competências em línguas estrangeiras exigem um grande esforço e, por isso, grandes investimentos, vale a pena desenvolver estas competências prioritariamente nas empresas que pretendam operar ou que já operam num determinado mercado.

 

Conclusão:

  • é indispensável apostar no inglês como língua dos negócios.
  • as empresas de menor dimensão beneficiam especialmente dos conhecimentos de línguas estrangeiras.
  • inglês, russo, francês, espanhol, chinês e árabe são as línguas mais importantes no comércio internacional.
  • pelo menos dez semanas a tempo inteiro ou três anos a tempo parcial é o tempo necessário para aprender uma língua.
  • todas as línguas têm de ser praticadas várias horas por semana.