Reciclagem na UE - Quem tem as quotas mais elevadas?

Reciclagem na UE - Quem tem as quotas mais elevadas?

A reciclagem das matérias-primas já utilizadas não deve apenas conservar os recursos, mas também o ambiente. Após a sua utilização, os plásticos, os materiais de construção, o vidro e outros materiais podem ser tratados mediante vários processos técnicos e, assim, reintroduzidos no ciclo. O vidro é transformado em vidro novo, os plásticos são prensados em granulados para a produção de novos recipientes ou plásticos moldados, e os materiais de construção podem muitas vezes ser reutilizados na construção de estradas ou outras aplicações úteis, após fragmentação mecânica. Uma vez que o processo de reciclagem está sujeito a um desenvolvimento a longo prazo e muitas vezes dispendioso, o legislador emitiu regulamentos para aumentar as quotas de reciclagem de cada país.

 

Quotas de reciclagem de 65 % em toda a Europa a partir de 2035

Existem objetivos claros na UE quanto à reciclagem dos resíduos urbanos, ou seja, dos resíduos domésticos. Até 2055, 55% dos resíduos devem ser reciclados. Alguns países já estão acima deste objetivo e, além da Áustria e da Alemanha, os eslovenos não têm de se preocupar com a quota. Em Malta, porém, apenas 7% dos resíduos urbanos são atualmente reciclados e na Roménia a quota é de cerca de 13%. A Grécia e o Chipre, com 17%, já estão um passo à frente, embora também ainda longe das exigências da UE.*

 

Uma boa comunicação apoia o processo de reciclagem

Muitos fabricantes adquirem matérias-primas e mercadorias de todo o mundo para criar os seus produtos. Especialmente nas áreas da química e da ciência dos materiais, são necessários tradutores experientes para criar linhas uniformes que promovam o complexo tema da reciclagem. Contacte-nos; teremos todo o gosto em apoiá-lo.

 

*Fonte: Statista