Segredos sobre a transcrição legal

Funções da transcrição legal

A transcrição legal – um mundo de exigências!

Mais concretamente, a transcrição legal consiste na acção de transferir um diálogo falado para texto escrito, sendo esta função destinada à função pública, direito ou jornalismo.

A transcrição legal converteu-se numa opção profissional, dada a procura existente por este tipo de serviço. Trata-se, no entanto, de uma procura que requer muito profissionalismo e garantias. É um facto que são diversos os gabinetes de advogados que procuram este trabalho, com exigências particulares em termos da terminologia jurídica adequada e dos prazos de execução.

Em paralelo, a transcrição legal necessita de profissionais que tenham um bom domínio da dactilografia e das ferramentas informática, assim como uma compreensão de diferentes idiomas e uma gramática correcta dos mesmos. Neste sentido, é necessário que se tenha em conta que os transcritores são profissionais, independentes ou agências, que são capazes de ler e editar os seus próprios documentos, garantindo assim a sua correcção.

Caso a transcrição seja efectuada por uma agência especializada, esta organização costuma ter vários editores complementares cujo trabalho consiste na verificação dos potenciais erros existentes nos documentos legais transcritos. Estes profissionais garantem a correcção do trabalho final, tanto ao nível da forma como do conteúdo.

No que respeita ao seu modus operandi, os transcritores recebem em geral gravações digitais, que ouvem através de um programa de transcrição nos seus computadores. Em seguida, convertem tais conteúdos em textos escritos e, depois disso, ouvem a gravação ao mesmo tempo que lêem a transcrição, determinando os códigos com os quais se filtraram as palavras pouco claras.

Depois de terminada a transcrição, será igualmente necessário formatar o documento num relatório jurídico. A maioria dos advogados especifica o formato que o relatório deve ter, pelo que é necessário seguir o seu critério. Nos casos em que essa orientação não é prestada pelo cliente, o transcritor deve questioná-lo sobre qual o formato que necessita que o documento tenha.