Até que ponto um tradutor tem de ser criativo?

Até que ponto um tradutor tem de ser criativo

A profissão de tradutor não está directamente associada ao conceito de uma "profissão criativa", em sentido restrito. No entanto, o processo de tradução carece, indubitavelmente, de uma determinada dose de criatividade, principalmente quando estão envolvidos determinados conteúdos.

 

Quando é que uma tradução é criativa?

Algumas traduções, principalmente em áreas como o Direito, as Finanças, a Medicina e as Ciências Naturais, exigem muito rigor e elevada precisão. Nessas traduções, o tradutor tem, acima de tudo, de se preocupar em transmitir o mais fielmente possível as informações, os conceitos e termos científicos e os matizes linguísticas. Com estes conteúdos, não há muito espaço para a criatividade e o grau de liberdade permitida é limitado.

Porém, em contrapartida, outros tipos de conteúdos permitem, ou até exigem, uma grande dose de criatividade. Este princípio aplica-se, em especial, às traduções de conteúdos de Marketing e Publicidade, em que o tradutor tem de ter um grande espírito criativo para encontrar equivalentes para anúncios, slogans, títulos, jogos de palavras ou trocadilhos, etc.

No que respeita à tradução de obras literárias (romances, contos…) ou canções, a criatividade está também no centro do processo de tradução, que tem de transmitir sentimentos, sensações, etc. Nestes casos, o tradutor tem de procurar equivalentes linguísticos que tenham em conta a cultura e o público do país da língua de destino. A tradução de videojogos, de conteúdos para as redes sociais e de legendas exige igualmente uma grande criatividade.

 

Criatividade: uma característica indispensável num tradutor

Naturalmente, o objectivo final continua a ser transmitir o texto de partida com a máxima autenticidade possível. No entanto, por vezes, em certos textos que carecem de uma adaptação cultural e linguística significativa, é necessária uma certa liberdade criativa.

Assim, a criatividade é uma componente fundamental da profissão de tradutor, embora continue a desempenhar um papel mais ou menos importante com base no tipo de tradução.

Independentemente do tipo de tradução, tradutor tem ter uma certa dose de criatividade, porque a criação, improvisação e adaptação são componentes do processo de tradução fundamentais para se produzir um conteúdo final em que não seja perceptível tratar-se de uma tradução.

 

O que devemos saber sobre criatividade na tradução

  • O nível de criatividade na tradução depende do tipo de conteúdos a traduzir.
  • A publicidade, o marketing e os textos literários exigem um elevado grau de criatividade.
  • O tradutor tem de ser criativo para conseguir que o resultado final do seu trabalho pareça, tanto quanto possível, ter sido elaborado directamente na língua-alvo – portanto, sem que seja perceptível tratar-se de uma tradução.

 

Adicionar novo comentário